Os Noivos

Pablo e Micaelle se conheceram em novembro de 2008 quando ela iniciou um trabalho temporário e remoto de revisão na empresa em que ele trabalhava. O primeiro encontro foi ali mesmo naquele escritório: uma troca rápida de olhares e um “Olá, muito prazer!” foram suficientes para deixar uma sementinha de amor em cada um.

“Quase quebrei o pescoço pra ver aquele corpitcho” – Pablo

“Depois daquele dia eu não parava de pensar nele… aquele rosto ficou fotografado em meus pensamentos” – Micaelle

Eles se encontraram uma ou duas vezes depois em ocasiões pouco mais informais, como almoços de confraternização, o que só alimentava o pensamento firme um no outro.

“Estava no carro indo almoçar e avistei a Mica na calçada, linda e radiante, com aquele cabelão” – Pablo

Em janeiro de 2009, ela começou a trabalhar efetivamente naquela empresa. Os dois se viam todos os dias e se tratavam como bons colegas de trabalho. Foram três meses de uma paquera muito tímida, terna, inocente e cheia de dúvidas. Afinal de contas, nenhum dos dois poderia imaginar que havia um sentimento mútuo.

“Além da revisão de texto, eu aproveitava para testar a usabilidade da ferramenta de busca do dicionário só pra encontrar qualquer falha e ter a desculpa de abrir um chamado, que ia direto para o painel do Pablo. Daí eu tinha bons motivos pra conversar com ele. Falávamos apenas de tecnologia, mas eu adorava prestar atenção no contorno da sua boca quando falava! Todo inteligente e articulado.” – Micaelle

Até que um dia, numa manhã muito dura para o Pablo, ele chega no escritório e é surpreendido por um sorriso carregado de ternura e carinho quando Micaelle abre a porta de entrada para ele. Foram menos de dois segundos o tempo em que se cumprimentaram e que ele respondeu com a mesma intensidade de sorriso. Ambos ficaram nervosos. Sentaram-se em suas mesas, que ficavam em salas diferentes, abriram a janela de interface do comunicador interno e ficaram esperando coragem para enviar uma mensagem. Ele foi o primeiro, para espanto dela, que estava a digitar algo.

“Naquela manhã, o sorriso da Mica foi exatamente o que eu precisava pra me fazer esquecer de tudo por alguns instantes. Fiquei um tempão só lembrando daquele seu sorriso.” – Pablo

Foi mágico! Passaram o resto do dia pensando naquele momento. Pablo não se conteve e enviou um SMS para ela naquela mesma noite para agradecer pelo sorriso que “mudou o seu dia”. Ela, que já vinha sonhando com ele há algumas noites, sonhou de novo desta vez!

No sábado daquela mesma semana, enquanto ela se divertia num bar com os amigos da faculdade, ele pensava se aquele era o momento certo para convidá-la para sair. Depois de muito pensar e pensar, ele ligou. O telefone dela tocou. Ela viu a ligação quando o último toque da chamada havia parado e não pode acreditar. Correu para o banheiro com uma amiga e, muito nervosa, também não sabia se retornava ou não. Coragem! e ela discou; e desligou em seguida; ele ligou de novo; ela atendeu. Até que enfim se falaram e ele a convidou para sair naquela mesma noite: “20h te pego em casa”.

“Foi tão engraçado! eu já tinha tomado umas cervejinhas e arrumei um desespero quando vi o celular finalizar a ligação não atendida. Saí correndo pro banheiro e minha amiga veio atrás! Depois voltei pra mesa do bar como se nada tivesse acontecido mas com um gostinho tão pleno por dentro.” – Micaelle

Micaelle não podia acreditar! Ela que pensava que ele nunca olharia para ela da mesma forma que ela olhava. Ela que pensava que a diferença de idade dos dois afastava a possibilidade de existir um romance… Ela acabou concluindo que aquele convite era para falar de trabalho e saiu sem nenhum interesse em fazer daquele encontro mais do que um bate-papo para planejar algum novo projeto

“Mal sabia ela que minhas intenções eram outras, bem mais ternas e apaixonadas!” – Pablo

Então ele a levou num dos restaurantes mais românticos de Belo Horizonte, Pacífico Bar. Um lugar com pouca luz e poucas mesas. Mesmo assim, ela continuou achando que não havia nada mais do que interesse em falar de trabalho. Ele ofereceu um vinho mas ela, muito tímida, só aceitou um refrigerante. Conversaram por horas assuntos aleatórios. Na verdade, só ela falava! Estava muito nervosa pois ele não parava de olhar no fundo de seus olhos. Até que ele não se conteve mais e, num momento de fala gesticulada de Micaelle, “catou” no ar o dedo anelar dela com o mesmo dele. Silêncio e um arrepio quente a invadiram, o que deixou que ele se aproximasse mais e a beijasse carinhosamente.

“Juro que até o beijo acontecer eu achava que o encontro era pra falar de trabalho, daqueles chamados que eu vivia criando. hahahaha!” – Micaelle

“E eu que estava louco de vontade de beijar aquela boquinha mais linda” – Pablo

Aquele momento ficou eternizado e não poderia deixar de ser descrito com tanto detalhe. Dia 4 de Abril, o Dia do Último Primeiro Beijo dos dois! Esse foi o começo de uma história de amor que vive há quase nove anos: vivo, forte, invencível, terno e infinito!